Translate

sábado, 5 de setembro de 2009

TEATRO: O ENCONTRO DAS PRINCESAS DOS CONTOS DE FADAS


Escrevi essa peça, fazendo uma adaptação do livro "O Fantástico Mistério de Feiurinha" do maravilhoso Pedro Bandeira (de quem sou fã), para ser apresentada durante as comemorações do Dia do Livro Infantil em 2006, com a ajuda da professora Edileuza que preparou o figurino e o cenário. Mexendo nos meus arquivos dei de cara com o texto e resolvi postá-lo. Acima estão as fotos da apresentação.
O ENCONTRO DAS PRINCESAS DOS CONTOS DE FADAS

Narrador: Agora é a hora de vocês conhecerem mais uma história de contos de fadas. Porém, trata-se de uma história diferente de todas que já lemos ou ouvimos. Todos nós conhecemos a história de Chapeuzinho Vermelho, Cinderela, Branca de Neve, Rapunzel, A Bela Adormecida, A Bele e a Fera e sabemos que todos esses contos maravilhosos terminam com uma famosa frase: "E foram felizes para sempre"
Mas... o que será que aconteceu com essas princesas depois do "E foram felizes para sempre?"
Vamos saber agora, pois neste exato momento Branca de Neve está em seu palácio esperando suas amigas para um encontro, já que faz anos que não se veem.
(Entra D. Branca, senta-se. Entra Caio, o lacaio, curva-se respeitosamente e anuncia:)
Caio: _Alteza, a senhorita Vermelho acaba de chegar ao castelo.
Branca: _ Chapeuzinho Vermelho? Que ótimo! Peça pra ela entrar. Vamos Caio, rápido!
( Caio afasta-se e estende o braço ainda inclinado em direção à porta)
Branca: _ Chapeuzinho Vermelho! Querida! Há quanto tempo! Como vai a vovozinha?
( As duas dão-se três beijinhos nas faces)
Chapéu: _ Um... dois... e três! Pra ver se eu caso. Ai, ai! Sou uma das poucas neste País das Fadas que não é princesa! Também... você sabe, não é?
Branca: _ Sei Chapéu! A sua história terminou dizendo que você ia ser feliz para sempre ao lado da vovozinha, e o autor esqueceu de fazer aparecer um Príncipe Encantado no final pra casar com você. Por isso você ficou encalhada...
Chapéu: _ Também não precisa falar assim... Eu estou solteira , mas... Quem sabe, não é?... Quer uma maçã?
Branca: _ Não! Eu detesto maçã!
Chapéu: _ Você está grávida?
Branca: _ Você notou? Pois é menina, estou esperando o meu sétimo filho, só faltava um pra ser afilhado do último anâozinho.
(Aparece Caio)
Caio: _ As princesas, vossas cunhadas, já começaram a chegar
Caio: _ A senhora Princesa Cinderela Encantado!
( Entra Dona Cinderela Encantado, também grávida. Calçando sapatinhos brilhantes. Ela anda com certa dificuldade, como se pisasse em ovos)
Cinderela: _ Ai, ai, ui, ui...
Branca: _ Bem vinda ao meu castelo, querida Cinderela!
Cinderela:_ Oi (procura uma cadeira e senta-se, tira os sapatos e começa a mexer os dedinhos dos pés) Uf! Estes sapatinhos de cristal estão me matando! Já estou cheia de calos...
Branca: _ Que bom que você veio! Puxa, você também está esperando nenê?
Cinderela:_ Estou. Para o mês que vem...
Branca: _ Que coincidência! O meu também é para o mês que vem...
Cinderela: _ É, Branca... infelizmente em nossas histórias tem uma ou outra coincidência...
Branca:_ Espere aí! Não me venha comparar as bobagens da sua história com as emoções da minha! Na minha história...
Cinderela: _ Tem muito mau gosto! Onde já se viu ficar morta anos e anos ao relento? Aí vem o Principe Encantado e dá um beijo numa defunta que está morta e esticada há anos e anos! E depois, se muitos e muitos anos se passaram, o teu Principe já devia estar velho como uma múmia. Até que combinaria não é? Uma múmia beijando a outra... Que mau gosto!
Chapéu: _ Calma, meninas!
Cinderela: _ Beijar um defunto na boca é de muito mau gosto. Parece até história de vampiro...
Branca; _ Ah, é, queridinha? E asua história então. Quer mau gosto pior que o Principe ficar experimentando o sapatinho de cristal no chulé de todas as mulheres do reino? Se ele estava tão apaixonado, não era capaz de reconhecê-la olhando pra sua cara?
Cinderela: _ É que o Príncipe é meio míope, coitadinho...
Branca: _ Tinha que ser míope mesmo, pra casar com uma sirigaita como você!
Cinderela: _ Você... você não é branca como a neve coisa nenhuma! Você é branca como um defunto fedorento!
Branca: _ O quê? Sua... sua Gata Borralheira!
Cinderela; _ O quê? Repita isso!
Branca: _ Repito sim: Gata Borralheira!
Cinderela: _ Defunta!
Branca: _ Borralheiríssima!
Cinderela: _ Vampira!
Chapéu: _ Calma, calma, meninas!
Caio: _ A senhora Princesa Rapunzel Encantado!
( Rapunzel entra carregando as tranças, também está grávida, entra se lamentando e apertando uma bolsa de gelo na cabeça)
Rapunzel: _ Não aguento mais de dor de cabeça! Ai, que dor de cabeça! Toda noite o Principe esquece a chave do castelo e cisma de entrar em casa subindo pelas minhas tranças. Não aguento mais de dor de cabeça! O Principe já não é tão magrinho como antigamente...
Chapéu: _ Quem dera eu tivesse um Principe para subir pelas minhas tranças!
Rapunzel: _ Pior é o ciúme dele! Vive brigando comigo e dizendo que eu ando jogando as tranças pra todo mundo.
Caio: _ A senhora Princesa Bela Adormecida Encantado.
( Entra a Dona Bela Adormecida, grávida e sonolenta)
Chapéu: _ Mais uma grávida!
Adormecida: _ Estou mesmo! Como adivinhou?
( As três) _ Intuição...
(A Adormecida boceja de sono e ajeita-se. Durante toda a cena, ela ronca às vezes, chupando o dedo).
Adormecida: _ Eu estava em casa tirando uma sonequinha. Afinal de contas eu preciso descansar um pouco não é?)
Caio: _ A Senhora Princesa Bela-Fera Encantado!
(Entra Dona Bela- Fera, da mesma idade e esperando nenê.Também entra bocejando)
Branca: _ Ah! Querida Bela-Fera! Bocejos não combinam bem com a sua história. Combinam melhor com a nossa amiga ali, a Bela Adormecida...
Bela- Fera: _ É que eu não consegui dormir a noite toda. Ontem foi noite de lua cheia...
Branca: _ E o que tem isso?
Bela-Fera: _ É que nessas ocasiões, meu marido passa a noite toda uivando pra lua... Ele tem saudade do seu tempo de Fera.
Cinderela: _ Desse jeito, o seu Principe vai acabar virando lombisomem...
Bela-Fera: _ Ele era lombisomem, sua fofoqueira! Fui eu quem o fez voltar a ser Principe!
Cinderela: _ Aquilo? Principe? Não me faça rir!
Bela-Fera: _ Quem é você para falar da minha história? Logo você, que casou com um Principe que preferia seu pé a sua cara!
Cinderela: _ Ah! É? Mas no fim eu casei com um principe de verdade, e não com um lombisomem.
Adormecida (Acorda assustada ) _ Calma, calma! Olhem tem gente olhando, estamos cercadas de crianças que leram a nossas histórias, o que será que vão pensar de nós? O que estamos fazendo é muito feio, não devemos brigar, amigas.
( Todas se voltam para o público adimiradas como se só agora percebessem que não estão sozinhas. Cumprimentam o público e termina a cena).
O Fantástico Mundo de Feiurinha de Pedro Bandeira ( Adaptação: Zezinha Sousa)

5 comentários:

Escolinha a Brincar disse...

Adorei a história... Fico aguardando o final.Feliz para sempre....:)
Bjs Teresa

Elis Contadora de histórias! disse...

Adorei a história, adoro trabalhar teatro com os alunos da escola onde trabalho, eles adoram participar é uma forma de mostrar a história da literatura Infantil,autores e suas biográfias. Adorei seu blog, cresci nesta cidade que amo muito. Obrigada pela visita no meu blog adorei te conhecer. Um grande abraço!

naidearchanjo disse...

Oi, adorei a história e gostaria de encenar com meus alunos de uma escola no interior do Rio de Janeiro, onde consigo a peça completa? Aguardo...obrigada, Naide Archanjo

Zezinha Lins disse...

Desculpe a demora, vc pode encontrar facilmente no google e baixar o livro completo. Beijo!

Anônimo disse...

oii eu posso fazer um filminho com o roteiro posso postar no youtube?